Pré-inoculação de Bradyrhizobium yuanmingense em sementes de feijão-caupi utilizando veículo polimérico e turfoso

  • FAVERO, Vinício Oliosi Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ)
  • MICHEL, Daniele Cabral Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ)
  • SILVA JÚNIOR, Elson Barbosa da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
  • PAULO, Fernanda Santana de Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
  • RUMJANEK, Norma Gouvêa Embrapa Agrobiologia
  • XAVIER, Gustavo Ribeiro Embrapa Agrobiologia
Palavras-chave: Vigna unguiculata, fixação biológica de nitrogênio, inoculante

Resumo

O feijão-caupi se beneficia da fixação biológica de nitrogênio, sendo a inoculação de sementes
uma forma de maximização da produtividade. Recomenda-se que a inoculação seja feita
em no máximo 24 horas antes do plantio, dificultando a condução em áreas extensas de plantio.
Assim, objetivou-se no presente trabalho avaliar a capacidade do inoculante polimérico
e turfoso em manter células rizobianas viáveis até 14 dias após a inoculação das sementes,
em condições de laboratório e campo. Em laboratório, ambos os veículos mantiveram viabilidade
celular até 14 dias após a inoculação. Em campo, as sementes pré-inoculadas com a
formulação polimérica com 7 e 14 dias e a turfosa com 7 dias, ambas antecedendo ao plantio,
apresentaram melhores Resultados em massa de nódulos. Os Resultados sugerem que a
pré-inoculação de sementes de feijão-caupi por até 14 dias antes da data de plantio é uma
prática viável que pode contribuir para adoção da tecnologia de inoculação na cultura.

Publicado
2018-08-15