Avaliação da matéria orgânica do solo em função da mudança da cobertura do solo no semiárido Pernambucano

  • Joel José de Andrade UAST/UFRPE
  • Erison Martins Amaral UAST/UFRPE
  • Simone Andrea dos Santos Nascimento UAST/UFRPE
  • Maria da Saúde Santos de Jesus UAST/UFRPE
  • Gerlúcio Moura Bezerra de Sousa IPA
  • Tito Antonio Ferraz Jota IPA
Palavras-chave: Efeito estufa, impacto ambiental, agroecossitema, qualidade do solo

Resumo

Objetivo deste trabalho consiste em avaliar o comportamento da MOS em diferentes coberturas do solo no semiárido pernambucano. Em um Cambissolo Háplico, 5 áreas de tratamento com diferentes coberturas do solo foram determinadas a MOS. Realizou-se 4 amostragens em profundidade 0-10 cm. A MOS foi determinada por incineração em mufla a 600 °C por 6 horas. Os resultados foram submetidos a análise de variância (ANOVA) e ao teste de Tukey a 5% de probabilidade. A ANOVA demostrou diferença estatística significativa a nível de 1% de probabilidade no teste de “F” para os teores de MOS em função da cobertura do solo. Assim, a MOS do solo apresenta uma tendência de decréscimo no sentido mata nativa > agrofloresta > pastagem degradada > pastagem > consorcio na ordem de 28,93%, 42,98%, 44,08% e 46,52% respectivamente. A MOS é sensível a mudança de cobertura do solo. As alterações na cobertura reduziram o teor de MOS. E, a agrofloresta mostrou teores de MOS superior ao demais agroecossistemas.

Publicado
2020-09-14
Seção
CBA - Manejo de Agroecossistemas de Base Ecológica