Manejo integrado de pragas na cultura da batata-doce

  • Rafaela da Mota Andrade Universidade Federal de Sergipe
  • Ane Caroline Celestino Santos
  • Emile Dayara Rabelo Santana
  • Ana Paula Santana Lima
  • Alisson da Silva Santana
  • Leandro Bacci
Palavras-chave: controle alternativo; monitoramento; agricultura familiar; agroecossistema.

Resumo

Um dos principais fatores limitantes na produção de batata-doce é a ocorrência de insetos-praga que atacam folhas, hastes e raízes. A adoção do manejo integrado de pragas (MIP) tem por base preservar e potencializar os fatores de mortalidade natural de pragas e monitorar as populações de pragas e inimigos naturais. No entanto, para esta cultura não existem planos de amostragem bem definidos e, portanto, a implantação do MIP é dificultada. Objetivou-se com este trabalho determinar as melhores técnicas e unidades amostrais e realizar levantamento de pragas e inimigos naturais que ocorrem em cultivos de batata-doce em Sergipe. As técnicas testadas foram as de contagem direta e batida de bandeja. Já para determinação da unidade amostral, foram selecionados ramos aleatórios em cada planta. A contagem direta foi a técnica adotada e as melhores unidades foram a primeira e segunda folha. Assim, esse trabalho mostrou-se promissor para o MIP em lavouras de batata-doce.

Biografia do Autor

Alisson da Silva Santana

 

 

Publicado
2020-09-08
Seção
CBA - Manejo de Agroecossistemas de Base Ecológica