Cantinho da bata-doce: juntando e espalhando ramas pelo Sertão Pernambucano

  • Rômulo Sátiro de Medeiros IF Sertão-PE Campus Salgueiro
  • Jefferson Luan de Oliveira Júnior
  • Adriana de Carvalho Figueiredo
  • Sandra Regina da Silva Galvão
Palavras-chave: Agricultura familiar; segurança alimentar; recursos genéticos; Ipomoea batatas.

Resumo

A batata-doce [Ipomoea batatas (L.) Lam.] é uma cultura estratégica para a alimentação mundial por ser altamente nutritiva e de fácil cultivo, mesmo quando explorada em áreas marginais. É explorada em todo o Brasil, destacando-se as regiões Sul e Nordeste, sendo uma importante fonte nutricional e de renda, especialmente para populações carentes. No semiárido nordestino a perda de diversidade genética de batata-doce tem ocorrido em função do êxodo rural e das últimas secas que têm castigado a região severamente. Foi neste contexto que a partir de 2016 o Prof. Rômulo S. Medeiros iniciou ações para a formação de um banco de germoplasma de batata doce no IF Sertão-PE Campus Salgueiro. Atualmente a coleção conta com 23 acessos, incluindo batatas de película roxa, branca e salmão. Sendo assim, o presente projeto tem como objetivos resgatar, divulgar e estimular o cultivo de batata-doce, além de manter o acervo do campus e distribuir ramas para agricultora(e)s em municípios do Sertão Pernambucano, com ênfase na Microrregião Sertão Central. Até o momento já foram distribuídas 3.084 ramas para 161 agricultora(e)s de 85 localidades espalhadas por 13 municípios do Sertão Pernambucano.

Publicado
2020-06-13
Seção
CBA - Biodiversidade e Bens Comuns dos Agricultores e Povos e Comunidades Tradic