Qualidade do solo e de sementes do linho cultivado em sistema de manejo conservacionista

  • Carla Eloize Carducci UFGD
  • Vanderleia SCHOENINGER
  • Joyce Castro XAVIER
  • Rafael Costa FERREIRA
  • Kaliana Gottschalk FREITAS
Palavras-chave: Linum usitatissimum; água disponível, ácido oleico.

Resumo

O trabalho teve como objetivo avaliar as condições edafoclimáticas para o cultivo de linho marrom na região de Dourados-MS, com vistas ao melhor desempenho da planta na produção das sementes. As avaliações de solo e semente foram conduzidas em lavoura experimental presente na UFGD, com três genótipos de linho marrom: Caburé e Aguará-INTA e UFSC-Brasil. Foram coletadas amostras de solo em duas profundidades (0-0,16; 0,16-0,30 m) com estrutura preservada e alterada para determinação de propriedades físicas e químicas do solo. Foram selecionadas plantas aleatórias dentro das parcelas para avaliação das sementes: número de cápsulas por planta, número de sementes, número de sementes/cápsula, índice de acidez e ácido oleico das sementes. O delineamento experimental foi em blocos ao acaso em esquema fatorial (genótipo x profundidade do solo), em três repetições. Os dados obtidos foram submetidos ao teste de Shapiro Wilk e à análise de variância (P<0,05). As médias foram comparadas pelo teste de Tukey (p<0,05). Os atributos físicos do solo não foram limitantes ao desenvolvimento do linho. Os fatores climáticos da região (baixa precipitação e alta temperatura) influenciaram negativamente a fase de reprodução dos genótipos. A qualidade das sementes foi semelhante entre os genótipos com destaque para o genótipo UFSC que apresentou maior número de sementes, rendimento, e valores intermediários de acidez e cápsulas.

Publicado
2018-12-29
Seção
AGROECOL - Sementes e Propágulos de Base Agroecológica