Sistemas Agroflorestais Biodiversos

Potencial para Sequestro de Carbono

  • Cleide BRACHTVOGEL UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS
  • Ana Caroliny de Queiroz FERNANDES
  • Ludmila Osório Castilho NIEDACK
  • Zefa Valdivina PEREIRA
  • Milton Parron PADOVAN
Palavras-chave: biomassa vegetal, efeito estufa, gás carbônico, agrofloresta

Resumo

O Brasil é um país de dimensões continentais, e o uso de Sistemas Agroflorestais Biodiversos (SAFs) contribui para o sequestro de carbono, pois diminui a pressão sobre florestas naturais. O objetivo desta pesquisa foi quantificar o estoque de carbono na biomassa vegetal em 4 arranjos de SAFs. Foram estabelecidas parcelas em cada arranjo, que correspondem às linhas das espécies arbóreas. Na avaliação obteve-se o diâmetro na altura do solo e a altura de todos os indivíduos. Para obter os valores de carbono na biomassa, aplicou-se a equação alométrica proposta por Higuchi 1998, obtendo-se o valor do peso fresco em kg árvore-¹. Após a utilização da equação, adotou-se o fator de conversão para estimar o valor de carbono. Segundo a equação, o total do carbono fixado corresponde a 48% do peso seco. Para estimar o estoque de carbono nos SAFs, os valores foram agrupados e, posteriormente, convertidos em t ha-1. De acordo com o levantamento florístico foram inventariados 393 indivíduos, distribuídos em 16 famílias, pertencentes a 38 espécies. Os valores de C ind-¹ em cada arranjo foram agrupados, sendo que o carbono estocado nos arranjos 2 e 4 foram superiores aos demais. Esses valores mais representativos se devem pelas espécies de árvores presentes e pela densidade de cada uma. O SAF apresentou um estoque considerável de carbono total (2,11 toneladas). A adoção de arranjos de SAFs pelos agricultores contribuirá para a produção de serviços ambientais e, dentre eles, a estocagem de carbono na biomassa das plantas, reduzindo a emissão de CO2 para a atmosfera

Publicado
2019-01-04
Seção
AGROECOL - Sistemas agroflorestais em bases agroecológicas