Experimento em Caprinocultura Integrada à pomar em Estilo Agroflorestal no Sudeste Goiano

  • Claudio Jose BERTAZZO UF Catalão (Ex UFG)
  • Daniel ALVES
  • Luís Gustavo Rossetto LONGHINI
  • Samuel Laudelino da SILVA
  • André Madeira Silveira FRANÇA
Palavras-chave: Sistemas Agroflorestais. Sustentabilidade. Caprinocultura. Produção Orgânica. Agricultura Familiar

Resumo

A introdução de um plantel de caprinos na área em que foi implantado o pomar em estilo agroflorestal desde meados de 2011, considera a premissa de poder transformar um problema com as gramíneas exóticas espontâneas em solução, na forma de alimento para os caprinos. Entretanto, os caprinos alimentam-se apenas das partes mais altas das gramíneas. Nas entrelinhas do pomar experimenta-se cultivos de cereais e leguminosas forrageiras para nutrição do capril. O plantel tem a sua disposição Brachiaria spp. de crescimentos espontâneo e sucessional de antigos sistemas agrários que existiram naquela área, atualmente ocupada com o pomar agroflorestal. Desde a preparação do solo para o cultivo não foi possível controlar a rebrota da gramínea que ora se quer alimentar o capril e poder fazer um manejo de cobertura do solo e o controlar (quase) plenamente a sua presença, substituindo as gramíneas por outras espécies de forrageiras para pastejo do capril. A metodologia utilizada para os principais cultivos implantados para formação da ração e com aferições mediante exames clínicos e laboratoriais para quantificar as condições de saúde dos animais e do leite a ser produzido. O experimento pretende servir de parâmetro comparativo para pequenos agricultores dedicados a produção de leite e que desejem alternativas à produção de leite vacuno. Se pretende registra e produzir informações sobre os impactos de pastejo, pisoteio e compactação de solo e recuperação de pastagens devido o manejo com pequenos ruminantes e os demais impactos em ambientes de Cerrado.

Publicado
2018-12-27
Seção
AGROECOL - Desenvolvimento Rural e Urbano em Bases Agroecológicas