Valoração Econômica de Serviços Ambientais em Sistemas Agroflorestais Biodiversos

um Estudo de Caso no Assentamento Lagoa Grande, em Dourados/MS

  • Gabriela Andrade de Oliveira Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)
  • Luciana Ferreira da Silva
  • Jaqueline Silva Nascimento
  • Patrícia Rochefeler Agostinho
  • Milton Parron Padovan
Palavras-chave: Economic Viability; Carbon; Estimation of biomass.

Resumo

Os sistemas agroflorestais biodiversos (SAFs) são uma forma de produção agroecológica que reúnem culturas agrícolas com espécies florestais. A pesquisa teve como objetivo valorar economicamente serviços ecossistêmicos de sequestro de carbono, pela estimativa do estoque de carbono na parte aérea das plantas em SAFs biodiversos do Assentamento Lagoa Grande, no Distrito de Itahum, em Mato Grosso do Sul, utilizando-se diferentes equações alométricas. O estudo foi realizado durante o período de agosto de 2016 a setembro de 2017. No período foram coletados os indivíduos de espécies arbóreas e arbustivas com altura superior a 1,0 m, medindo sua altura e circunferência a altura do peito (CAP). Com os valores médios do diâmetro a altura do peito (DAP) e das alturas, obteve-se o valor total de biomassa fresca e seca, bem como o estoque de carbono. A quantidade total de indivíduos variou de duzentos e noventa e um a trezentos e sessenta e cinco. Sendo os maiores valores médios encontrados para a quantidade de carbono em t C (0,5 ha-1), acumulados na parte aérea de espécies arbustivas e arbóreas, para o 4º SAF, de 6,87 t, posteriormente para o 1º SAF, com 5,15 t e o 2º sistema com 4,03 t. Em virtude dessa realidade, os proprietários poderiam receber R$3.172,68, R$2.379,94 e R$1.879,49, respectivamente. Esses dados mostram a viabilidade de SAFs no incremento da renda familiar e assim estimular a continuidade do cultivo da agrofloresta, demonstrando a viabilidade econômica dos sistemas analisados.

Biografia do Autor

Luciana Ferreira da Silva

Possui graduação em Matemática pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1997), mestrado em Desenvolvimento Sustentável pela Universidade de Brasília (2001) e doutorado em Economia Aplicada pela Universidade Estadual de Campinas (2007). Atualmente é professor adjunto da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), docente do quadro permanente do Mestrado em Agronegócios da Universidade Federal da Grande Dourados e membro da Sociedade Brasileira de Economia Ecológica (ECOECO). Tem experiência na área de Economia, com ênfase em Economia Agrária e dos Recursos Naturais, atuando principalmente nos seguintes temas:instrumentos economicos de politica ambiental, valoração econômica de serviços ambientais, indicadores de sustentabilidade e avaliação ambiental estratégica.

Milton Parron Padovan

Graduado em Biologia pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (1995), Doutorado em Agronomia (Ciência do Solo) pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (2002) e Pós-Doutorado em Agroecologia, com ênfase em Sistemas Agroflorestais, pela Universidade Federal de Viçosa (2012). A maior experiência concentra na área de Agroecologia, atuando na Pesquisa Agropecuária, Extensão Rural, Docência e Consultoria. Autor de 3 livros; editor de 6 livros; autor de 16 capítulos de livros; autor de mais de 115 trabalhos publicados em revistas científicas e mais de 150 artigos e resumos expandidos publicados em anais de eventos técnico-científicos. Orientou dezenas de estudantes em nível médio, graduação e pós-graduação; atuou na docência em diversos cursos, compreendendo: graduações e pós-graduações (especializações e mestrados); ministrou centenas de palestras e dezenas de cursos. Atualmente é Pesquisador A da Embrapa Agropecuária Oeste, na área de Agroecologia, e professor efetivo no Mestrado em Biologia Geral, com ênfase em Bioprospecção), da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), em parceria com a Embrapa Agropecuária Oeste. Desenvolve estudos e outras ações envolvendo sistemas agroflorestais biodiversos, adubação verde, arranjos de produção de base agroecológica e serviços ambientais. É coodenador técnico do - AgroecoWeb Process -, que é um grande PROJETO PESSOAL de cunho social e humanístico, por meio do qual compartilham-se informações e conhecimentos agroecológicos via internet, por meio de canais das redes sociais (Facebook, YouTube, Home Page, Instagran, entre outros), com intuito de despertar, conscientizar e formar pessoas em Agroecologia.

Publicado
2019-01-04
Seção
AGROECOL - Sistemas agroflorestais em bases agroecológicas