Feira Agroecológica da UFMS/CPTL

Origem e Sustentabilidade

  • Jhiovanna Eduarda Braghin Ferreira UFMS
  • Iolanda Rodrigues Soares BISPO
  • Rosemeire Aparecida de ALMEIDA
Palavras-chave: feira, agroecologia, soberania alimentar

Resumo

Atualmente, é possível observar no Brasil as consequências negativas da Revolução Verde. Este modelo de agricultura agroquímico tem desencadeado desemprego no campo, expulsão de agricultores, fome, concentração fundiária, desertificação, poluição, danos à saúde por agrotóxicos e perda do direito sobre a soberania alimentar. Objetivando dar visibilidade na escala local às alternativas a este modelo de agricultura convencional, a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campus de Três Lagoas, tem apoiado projetos como a Feira Agroecológica que dá suporte a transição agroecológica que acontece em alguns lotes do projeto de reforma agrária 20 de Março, localizado no município de Três Lagoas. Com a Feira de Transição Agroecológica os camponeses assentados podem vender o excedente da produção e assim aumentar a renda familiar, possibilitando melhor qualidade de vida, além de romper o círculo dos “atravessadores”. A pesquisa indica que há dinamização do consumo e grande variedade dos produtos na Feira Agroecológica na UFMS/CPTL II, situação que garante a continuidade da feira permitindo acesso a alimentos saudáveis por parte da comunidade acadêmica da universidade fortalecendo o direito a soberania alimentar.

Publicado
2018-12-29
Seção
AGROECOL - Redes de Comercialização de Produtos Agroecológicos e Economia Solid