Transição Agroecológica da Mandioca Cultivada na Comunidade do Cará, em Bela Vista de Goiás

  • Vanislene Borges da Silva Universidade Federal de Goiás
Palavras-chave: Economia solidária, rede de intercambio, desenvolvimento local, Saúde

Resumo

O presente trabalho objetivou proporcionar a transição agroecológica em agricultores familiares da Comunidade do Cara. São produtores de mandioca desde a década de quarenta no século passado e nos últimos anos o preparo do solo e o uso de herbicidas tem proporcionado degradação do solo e erosão. A proposta de transição foi o uso de plantas de cobertura do solo e manejo mecânico que podem aumentar a sustentabilidade dos sistemas de produção de mandioca, além de oferecer condições mais favoráveis ao crescimento e desenvolvimento das plantas evitando o uso destes agrotóxicos e consequentemente agregando valor ao produto como agroecológico ou orgânico. Oficinas quanto a importância da produção orgânica de mandioca no Brasil; ausência de resíduos de pesticidas, o rastreamento, o respeito ao meio ambiente e a promoção da justiça social dos trabalhadores empregados, características do produto orgânico. O projeto possibilitou ressignificar as dificuldades da cooperativa sobre sistemas produtivos alternativos e trabalhar a consolidação de sistemas de produção mais sustentáveis. O trabalho promoveu integração entre as universidades UFG, Brasil e a Instituto Federal de Goiás junto com a cooperativa de agricultores familiares do território da estrada de ferro e contribuiu para o fortalecimento de uma rede de intercâmbios de experiências e de conhecimentos entre os alunos da especialização, da graduação, do mestrado e do doutorado com a realidade da agricultura familiar da Comunidade do Cara em Bela Vista de Goiás.

Publicado
2018-12-28