Polycultures reducing diseases severity

  • Solange Gomes Carneiro IAPAR
  • Luiz Odenath Penha
  • Euclides Bueno Romano
  • Leandro Camargo Borsato
Palavras-chave: policultura, consórcio, doenças

Resumo

o objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito do consórcio sobre a severidade de doenças nas culturas do linho, canola e girassol. Foram conduzidos dois experimentos na estação experimental do Iapar em Londrina-PR, em delineamento experimental em blocos ao acaso com cinco repetições. No experimento 1 o linho foi cultivado solteiro e em consórcio com algumas culturas. Os tratamentos foram identificados da seguinte forma: T1 = linho solteiro; T2 = linho + aveia; T3 = linho + centeio + aveia; T4 = linho + aveia + tremoço; T5 = linho + centeio + aveia + tremoço; T6 = linho + centeio; T7 = linho + centeio + tremoço; T8 = linho + tremoço.  No experimento 2 os tratamentos foram: canola solteira; canola + aveia; girassol solteiro; girassol + tremoço e girassol + aveia. As parcelas mediam 8 x 4 m (32 m2), com área útil de 3 x 4 m (12 m2). Detectou-se no linho a ocorrência de antracnose (Colletotrichum sp.), mancha foliar (Alternaria sp.) e algumas plantas com podridão radicular de Rhizoctonia solani. Na canola foi identificada a ocorrência de mancha foliar causada por Alternaria sp. e algumas plantas com Sclerotinia sclerotiorum. No girassol ocorreram mancha de Alternaria, oídio, bacteriose e mofo branco. Observou-se que o consórcio pode auxiliar na redução da severidade de doenças, mas este efeito é dependente do patógeno em questão. Nas condições deste trabalho, os tratamentos avaliados reduziram a severidade de algumas doenças foliares, mas apenas nas fases iniciais do ciclo da cultura.

Publicado
2019-05-02