O uso de mapas mentais como Metodologia para o desenvolvimento da transição agroecológica e da autonomia das mulheres rurais

  • PAES, Ana Maria Baccarin Xisto Secretaria Estadual de Educação do Estado de São Paulo - SEESP
  • FILIPAK, Alexandra Instituto Federal de São Paulo – IFSP
  • ALEIXO, Sany Spínola Centro Universitário de São José do Rio Preto – UNIRP
Palavras-chave: Agroecologia, Economia Feminista, Percepção Espacial, Quintais Produtivos

Resumo

Este trabalho pretende relatar uma proposta metodológica que vem sendo executada pelo
Núcleo de Estudos em Agroecologia e Economia Feminista (NEA/IFSP-Matão) que trata de
uma ação realizada junto ao grupo produtivo de mulheres do Assentamento Córrego Rico
em Jaboticabal, SP. Dentre as atividades desenvolvidas, foram realizadas ações que permitissem
o fortalecimento do grupo de mulheres, a capacitação em gênero, economia feminista
e agroecologia. O destaque, nesse trabalho, é apresentar a metodologia para a construção
dos mapas de percepção espacial que permitem identificar o lugar de trabalho produtivo, autônomo
e agroecológico das mulheres, chamados na literatura de quintais produtivos. Diante
da discussão da determinação e demonstração da divisão sexual do trabalho que ocorre na
família, promovendo a reflexão acerca das desigualdades de gênero na agricultura de base
familiar, propõe-se a análise dos mapas. Estes cumprem a função de metodologia para o
trabalho extensionista com as mulheres, assim como de metodologia de pesquisa acerca do
trabalho e consequentemente, da economia das mulheres. Diante das ações desenvolvidas
foram apontadas algumas considerações: redefinição de quintais produtivos; relação entre as
percepções das mulheres e as definições de economia feminista; construção da agroecologia
a partir do desenvolvimento da autonomia das mulheres; relação entre trabalho produtivo e a
reprodução da agrosociobiodiversidade.

Publicado
2018-08-19