Projeto Extratus do Cerrado Lajeado Extratus Project of the Cerrado Lajeado

  • BERNIERI, Celenita Gualberto P.
  • FÔLHA, Jardilene Gualberto P.
  • ALVES, Laurenita Gualberto P.
Palavras-chave: Sem palavras-chave

Resumo

As desigualdades sociais históricas junto com as injustiças étnicas raciais geram exclusão
e impedem a construção de uma cidadania política e social de mulheres e
jovens negros que continuam à margem da sociedade. Ao se tratar então das mulheres
negras, as barreiras são maiores ainda, pois são duplamente discriminadas, pelo
sexismo e o racismo institucionalizado. E que por mais que passam suas vidas nos
afazeres que permeiam dos domésticos à garantia de uma educação sociocultural que
tem contribuído por gerações a sustentabilidade do bem viver familiar, ela continuam
em desvantagem. Enquanto algo similar acontece com a juventude negra, especialmente
as que permanecem morando na comunidade. Que na lida, desde muito cedo
observando e logo ajudando os pais nas atividades diárias, adquirir técnicas de manejo
agro ecológico sustentável, é inevitável. Mas, que são conhecimentos que ainda é
pouco valorizado, considerando que não é rentável. O que os mantém marginalizados
e excluídos deste modelo de sociedade globalizado e informatizado a elesimposto.
O fato de sermos descendentes de uma comunidade quilombola e conhecedoras deste
cenário que permeia os membros a Associação dos Agricultores e Agricultoras Familiares
da Comunidade Quilombola de Lajeado União, composta por membros residentes
no território quilombola de Lajeado, Município: Dianópolis – Estado: Tocantins
CEP: 77.300-000, há 350 km da capital Palmas. Localizada num relevo caracterizado
pelas Serra Geral de uma latitude11º37’40” sule a uma longitude46º49’14” oeste, estando
a uma altitude de 720 metros, é banhado pelo Rio Manoel Alves e alguns córregos
afluentes, possui um clima sazonal relativamente frio, com vegetação natural predominantemente
cerrado, região passa parte do ano em período firme e/ ou de estiagem.
Construímos esta proposta coletiva com o objetivo de promover a valorização do trabalho
de sustentabilidade não tão somente da agro ecológica, mas, de todo um contexto
desenvolvido numa mútua relação das mulheres e da juventude quilombola, bem como
contribuir para geração de renda de ambos, incentivando assim um debate reflexivo
para orientá-los quanto às possibilidades para a problemática, a ser submetida ao processo
de seleção de um edital da CESE em aberto.

Publicado
2018-08-19