A ressignificação das mulheres rurais através da agricultura ecológica do butiá no Assentamento Nova Esmeralda, Pinhal da Serra - RS

  • SENNA, Helena Botelho Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
  • STEFANONI, Juliane Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
  • MARQUES, Gabriela Pôrto Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
  • SOUZA, Patrine Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
Palavras-chave: agroecologia, relações de gênero, mulheres rurais, assentamento

Resumo

O campo da agroecologia vem se destacando no processo de valorização do papel da mulher
rural, alcançando as instâncias das políticas públicas. O objetivo deste trabalho foi entender
como se dão as relações de gênero entre os integrantes do projeto da Rota Internacional dos
Butiás que vivem no Assentamento Nova Esmeralda, localizado na região dos Campos de
Cima da Serra (RS). O projeto é uma proposta da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária
(EMBRAPA) e busca desenvolver a cadeia produtiva do Butiá - fruta nativa do local, a partir
da agricultura ecológica. No assentamento mencionado o projeto tem sido desenvolvido paralelamente
à meta de promover o empoderamento das mulheres através da valorização dos
seus saberes em relação às espécies filogenéticas. Foi realizada análise de conteúdo com
base em literatura especializada, entrevista e observação durante curto período no mês de
maio de 2016. Apesar da importância do projeto, observada para a inserção das mulheres na
agroindústria do butiá, destacou-se como resultado a singela participação das trabalhadoras
nas atividades de reconhecimento público, como é o caso da comercialização. Percebeu-se
a necessidade de as instituições públicas repensarem a forma de abordagem nas ações de
capacitação voltadas para as relações de gênero.

Publicado
2018-08-19