Inoculação e co-inoculação na qualidade fisiológica de sementes de feijoeiro irrigado

  • Bianca Sizue Mellini Instituto Federal do Triângulo Mineiro
  • Simone Aparecida da Silva Instituto Federal do Triângulo Mineiro
  • Mateus de Almeida Rodrigues Engenheiro Agrônomo
  • Edriano Zago Júnior Engenheiro Agrônomo
  • Pérsio Augusto Lelis Silva Engenheiro Agrônomo
  • Orivaldo Arf Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”
Palavras-chave: Phaseolus vulgaris (L.), Rhizobium tropici., Azospirillum brasiliense.

Resumo

O feijoeiro é uma planta que apresenta grande importância comercial e social no Brasil, pertencente à família das leguminosas e que, semelhantemente principalmente à outras leguminosas, possui a capacidade de realizar com eficiência notável, a fixação biológica do nitrogênio (FBN) através da simbiose com bactérias denominadas rizóbios. A prática da co-inoculação também conhecida como inoculação mista com bactérias simbióticas e assimbióticas que promovem a FBN, tem sido estudada em plantas principalmente da família das leguminosas, porém existe a necessidade de estudos mais detalhados acerca da qualidade fisiológica das sementes produzidas. Diante do exposto, estudou-se a qualidade fisiológica de sementes de feijoeiro irrigado submetido à inoculação, co- inoculação e adubação mineral com nitrogênio. O experimento foi realizado em Uberaba (MG) no setor de culturas anuais do Instituto Federal do Triangulo Mineiro, em delineamento em blocos casualizados com cinco tratamentos e quatro repetições, sendo: T1 – Testemunha; T2 – 80 kg ha-1 de N em cobertura (30 dias após a emergência das plantas - DAE); T3 – Rhizobium tropici; T4 – Azospirillum brasiliense; T5 – Co-Inoculado (Rhizobium tropici +Azospirillum brasilense). Foram avaliados: massa de 100 sementes, produtividade, primeira contagem de germinação, germinação e índice de velocidade de emergência. A germinação não foi afetada por nenhum dos tratamentos, a co-inoculação provocou um aumento na massa de 100 sementes, assim como, a aplicação nitrogênio via adubação mineral provocou aumento no índice de velocidade de emergência, conferindo maior vigor as sementes produzidas.

Publicado
2020-03-31