Avaliação da degradação ambiental a partir da perda de solo por erosão hídrica na Bacia Hidrográfica do Rio Jauru-MT

  • Camila Calazans da Silva Luz Universidade do Estado de Mato Grosso
  • Sandra Mara Alves da Silva Neves Universidade do Estado do Mato Grosso
  • Alexander Webber Perlandim Ramos Universidade do Estado do Mato Grosso
  • Larissa Espinosa de Freitas Universidade Federal de Viçosa
Palavras-chave: Equação universal de perdas de solo., Sistemas de Informação Geográfica., Conservação do solo.

Resumo

A degradação dos solos por erosão tem sido um problema amplamente abordado em estudos, devido as diversas consequências de ordem ambiental, social e econômica, ocasionadas pela exploração desordenada das terras. Nesse sentido, o presente trabalho tem como objetivo analisar a degradação ambiental a partir da perda de solo por erosão hídrica, através da aplicação da Equação Universal de Perda de Solo (EUPS), na Bacia Hidrográfica do Rio Jauru-MT. Foram identificadas as classes de solos para definição do Fator Erodibilidade e realizado o cálculo das precipitações para obtenção do Fator Erosividade, em seguida gerou-se o mapa de uso da terra e cobertura vegetal do ano de 2016, utilizando imagens Landsat 8, operacionalizado por intermédio de Sistemas de Informação Geográfica. O cálculo do fator uso e manejo do solo e práticas conservacionistas - CP ocorreu através da reclassificação das categorias de uso e cobertura da terra e a determinação do Fator Topográfico foi elaborada por meio do Modelo Digital de Elevação. A combinação desses fatores resultou no mapa de perda de solo. Os resultados obtidos indicaram que a bacia apresenta baixo nível de perda de solo devido a poucas variações de declividade e por sua maior parte estar recoberta por vegetação, tanto natural quanto por pastagem cultivada. As maiores perdas de solo concentram-se especialmente nas áreas de maior declividade, à montante da rede de drenagem. Nessas áreas devem ser aplicadas medidas conservacionistas por serem as principais responsáveis por fornecerem elevada quantidade de sedimentos para o Pantanal mato-grossense.

Publicado
2020-03-31