Monitoramento da perda de solo em área de plantio de café em estágio inicial

  • Yago Ricardo de Oliveira Universidade Federal do Espírito Santo
  • Alysson Fernandes Onofre da Silva Universidade Federal do Espírito Santo
  • Marco Aurélio Costa Caiado Universidade Federal do Espírito Santo
Palavras-chave: Caparaó., Cafeicultura., Erosão.

Resumo

Dentre os fenômenos ligados ao ciclo hidrológico, a erosão ocupa papel de destaque, sendo diretamente intensificada pela interferência humana. São raros os trabalhos que tratam do escoamento superficial e erosão em cafeicultura na região do Caparaó. O estudo foi realizado no Instituto Federal do Espirito Santo, Campus de Alegre, inserido na região do Caparaó Capixaba. Dessa forma, este trabalho teve como objetivo, monitorar a perda de solo em parcelas experimentais plantadas com café com dois anos de idade. Foram instaladas três parcelas experimentais com café conilon da variedade Robusta tropical. No período de 01 de novembro de 2014 a 31 de outubro de 2015, após cada chuva, todo o escoamento superficial das parcelas acumulado nos tanques de armazenamento foi recolhido e levado a laboratório para quantificação do total de sedimento. Observou-se que o escoamento superficial total no período de monitoramento foi de 12,90 mm, o que representa apenas 1,28 % da chuva que precipitou sobre as parcelas experimentais. A erosividade total das chuvas no período de estudo foi de 150,07 MJ mm ha-1 h-1. E o total de erosão no período de estudo, foi de 620,23 kg ha-1. O monitoramento das parcelas experimentais permitiu avaliar os valores mensais de precipitação, erosividade, perda de solo e erosão, contribuindo com a importância da adoção de práticas conservacionistas que minimizem as perdas de solo em áreas com café na região do Caparaó.

Publicado
2020-03-31