Dez anos de experimentação agroecológica em uma Comunidade Quilombola na região do semiárido da Bahia

  • Fernanda de Paula Medeiros Universidade Federal de Viçosa
  • Suzi Huff Theodoro Universidade de Brasília
Palavras-chave: Comunidades quilombolas., Perfil socioeconômico., Remineralizadores.

Resumo

O uso de pós de rocha nos solos é conhecido como rochagem, onde materiais minerais moídos são aplicados ao solo para remineralização e rejuvenescimento dos solos na agricultura. A difusão e replicação de uma tecnologia social como a Rochagem, parte do entendimento de que a fertilidade dos solos é a base para a alavancagem de vários indicadores sociais, econômicos e de produção agrícola. Tem o objetivo de analisar a percepção dos moradores dessa Comunidade acerca de projetos agroecológicos implantados no período, bem como averiguar se ocorreram mudanças socioeconômicas em meio às famílias dos agricultores. Os projetos agrupam princípios agroecológicos e da tecnologia da rochagem para ampliar e diversificar a produção agrícola. O presente trabalho compara dois diagnósticos socioambientais realizados em um intervalo de 10 anos na comunidade Lajedão dos Mateus, Bahia, Brasil, utilizando a metodologia da “Pesquisa-Ação”, onde o agricultor auxilia o agricultor no entendimento do problema. Foram realizadas duas pesquisas semiestruturadas, em forma de entrevista em 2006 e 2016, e as resposta foram comparadas qualitativamente e quantitativamente O número de respondentes permaneceu quase inalterado. A análise dos dados mostra que houve avanços no campo da renda e da produção agrícola com o uso dos pós de rocha ao longo do tempo e, também, mudança no perfil das famílias da comunidade em fortalecimento de sua presença no meio rural.

Publicado
2020-04-08