ARPILLERAS: MULHERES ATINGIDAS POR BARRAGENS BORDANDO COMUNICAÇÃO POPULAR POR JUSTIÇA SOCIAL

  • Beatriz Rodrigues FERNANDES UFC
  • Gema Galgani ESMERALDO UFC
Palavras-chave: artes subversivas, comunicação popular, auto-organização das mulheres, feminismos

Resumo

Arpillera é uma antiga técnica têxtil e folclórica chilena nascida em Isla Negra, na qual as mulheres utilizam como tela pedaços de saco de juta – arpillera em espanhol – e bordam com retalhos, lãs e linhas coloridas, além de bonecas preenchidas com tecido que dão forma e relevo a arte. A partir da ditadura de Pinochet, as mulheres chilenas deram início a um processo de ressignificação das telas bordadas, transmutando-as em ferramenta política de denúncia. Anos depois, a técnica têxtil das arpilleras permanece nutrindo processos populares e políticos. No Brasil, ela vem sendo partilhada entre as mulheres atingidas por barragens, de forma dialética à construção e ao fortalecimento de sua auto-organização. O presente ensaio teórico reflete sobre o uso de artes subversivas, as quais ainda se transfiguram em ferramenta para a comunicação popular, contribuindo na busca por justiça social, protagonizada pelos sujeitos políticos em situação de conflitos socioambientais.

Publicado
2020-05-13