A ESCOLA FEMINISTA NA SUPERAÇÃO DAS DESIGUALDADES DE GÊNERO EM ORGANIZAÇÕES MISTAS NO AGRESTE DE PERNAMBUCO

  • Carlos Magno de Medeiros MORAIS Centro de Desenvolvimento Agroecológico Sabiá
  • David PÉREZ NEIRA Universidad de León
  • Marta SOLER-MONTIEL Universidad de Sevilla
Palavras-chave: feminismo, agroecologia, extensão rural, mulheres rurais

Resumo

Esta investigação objetiva compreender mudanças na vida de mulheres agricultoras nos campos da equidade de gênero, produção e consumo de alimento, bem como o seu acesso ao mercado, apontando estratégias de trabalho com mulheres rurais para organizações mistas. A amostra é composta por 12 agricultoras que integraram a Escola Feminista no âmbito da chamada de ATER em agroecologia entre 2014 e 2017, numa parceria do Centro Sabiá e do MMTR-NE no Agreste de Pernambuco. A metodologia foi desenvolvida a partir de técnicas qualitativas. Os resultados indicam a eficácia da estratégia para a superação e tomada de consciência sobre a desigualdade de gênero, revelando desafios estruturantes na produção e no acesso ao mercado pelas mulheres, ao mesmo tempo que aponta a necessidade das organizações mistas refletirem sobre sua ação específica com mulheres rurais e fazerem as adequações político e sócio metodológicas necessárias.

Publicado
2020-05-13
Seção
CIFA - Feminismo, Agroecologia e Soberania Alimentar