AGROECOLOGIA COMO PRÁTICA TERRITORIAL: MULHERES TORNANDO POSSÍVEIS ESPAÇOS PARA A VIDA

  • Ana Carolina RODRÍGUEZ IBARRA PUCRS
  • Flávia CHARÃO-MARQUES UFRGS
  • Judit HERRERA-ORTUÑO UFRGS
  • Luna C. DALLA ROSA UFRGS
  • Tanise Pedron SILVA UFRGS
Palavras-chave: territorialidade, ação social, mulheres rurais, práticas

Resumo

As reflexões propostas a seguir se baseiam em cinco estudos de caso, levados a cabo pelas autoras, entre os anos de 2015 e 2018, em diferentes localidades brasileiras. Trata-se de um esforço coletivo para contribuir com o debate sobre o reconhecimento das mulheres como protagonistas e como criadoras de novos conhecimentos no contexto da agroecologia. A ideia central é dar visibilidade para práticas sociais, que podem estar gerando reconfigurações territoriais que tornando possível a vida através de renovadas formas de existência. Destaca-se a materialização das territorialidades, que sendo localmente situadas e específicas, dão visibilidade a práticas de cuidado na cotidianidade.

Publicado
2020-05-13
Seção
CIFA - Feminismo e Agroecologia: quais sujeitos políticos?