SEM MEDO DE DIZER “FEMINISMO”: A ESCOLA DE FORMAÇÃO FEMINISTA PARA MULHERES JOVENS E A CONSOLIDAÇÃO DE UM SUJEITO POLÍTICO DA AGROECOLOGIA

  • Germana PLATÃO UFMG Montes Claros
  • Indinayara GOUVEIA
  • Marta GRAVE Unimontes
Palavras-chave: feminismos, juventudes, auto-organização, formação

Resumo

Este trabalho é um relato de experiência técnica desenvolvida pelo Centro de Agricultura Alternativa do Norte de Minas (CAA-NM) que apresenta e sistematiza a Escola de Formação Feminista para Mulheres Jovens em abril de 2017, Montes Claros/MG. Sendo fruto de reflexões e problematizações institucionais sobre as desigualdades de gênero e de geração, a experiência evidencia potencialidades e desafios de trabalhar, no seio de organizações rurais mistas, o feminismo e a agroecologia como partes de um mesmo projeto de sociedade. A sistematização desta experiência possibilita ponderações sobre o trabalho com mulheres jovens rurais, de povos e comunidades tradicionais, além de abordar particularidades de seus discursos e práticas políticas. O trabalho defende a importância da formação específica do segmento das mulheres jovens como motor de uma posição questionadora, contribuindo para a consolidação de novos sujeitos políticos e para a afirmação de lideranças jovens no campo da agroecologia e do feminismo.

Publicado
2020-05-12
Seção
CIFA - Feminismo e Agroecologia: quais sujeitos políticos?