PERTO DA CASA, PERTO DA COMUNIDADE A (IN)VISIBILIDADE DA NATUREZA, DOS TRABALHOS E DA ECONOMIA

  • Marina COIMBRA
Palavras-chave: feminismos indígenas, economia feminista, agroecologia

Resumo

O trabalho apresenta um esforço inicial, partindo da experiência de uma mulher indígena da etnia Ticuna, em registrar a agrobiodiversidade ao redor da sua casa, a destinação da produção - autoconsumo, venda, doação e troca - e os diversos trabalhos produtivos e reprodutivos desempenhados diariamente por ela. Para isso, articula-se teorias da economia feminista, estudos campesinos e feminismos decoloniais rumo a uma compreensão plural das dinâmicas e estratégias econômicas empregadas pelas mulheres indígenas cotidianamente com o objetivo de contribuir para a crescente visibilidade e valorização de suas práticas na Agroecologia, por meio de processos de sistematização para garantir a manutenção de seus usos e costumes.

Publicado
2020-05-11