MULHERES DO MANGUE E DA RESTINGA: RELATO DE EXPERIÊNCIA SOBRE AS MARISQUEIRAS E CATADORAS DE MANGABA DO MUNICÍPIO DE ESTÂNCIA, LITORAL SUL DE SERGIPE, BRASIL

  • Raíra Pereira TAVARES
  • Mônica Cox de Britto PEREIRA
Palavras-chave: Extrativismo, Trabalho Feminino, Pesca, Agroecologia

Resumo

Este relato de experiência faz um debate acerca das mulheres marisqueiras e catadoras de mangaba do litoral sul do estado de Sergipe, abarcadas por projetos patrocinados pela Petrobras para que a empresa consiga a obtenção de licenciamento ambiental. Também discorre sobre a relação dessas mulheres com o mangue, a restinga e os impactos socioambientais nessa região. A metodologia esteve embasada na visita aos seus territórios e rodas de diálogo. É predominante a participação das mulheres na coleta da mangaba e na pesca do marisco, elas são protagonistas desde a coleta e pesca, passando pelo beneficiamento, até a comercialização dos alimentos. Seus trabalhos resultam em uma parcela significativa da renda familiar, muitas vezes complementada com o trabalho doméstico em casas de veraneio nos condomínios que começam a aparecer fortemente na região. Do mesmo jeito que esses são “uma oportunidade de renda”, também prejudicam os trabalhos na restinga e no mangue.