AGROECOLOGIA E ECONOMIA POPULAR SOLIDÁRIA: ALTERNATIVAS PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E EMANCIPAÇÃO FEMININA

  • Cristiane BETANHO
  • Gislene Reis LOPES
  • Jéssica Caroline Fonseca LOPES
Palavras-chave: Economia popular solidária, Sustentabilidade, Agroecologia, Feminismo

Resumo

O objetivo deste estudo é abordar a economia popular solidária sob a perspectiva de gênero e da agroecologia, e verificar de que maneira esta forma de organização socioeconômica pode representar uma alternativa de empoderamento e emancipação para as mulheres do campo. A partir da análise das iniciativas econômicas solidárias incubadas pelo CIEPS/UFU (Centro de Incubação de Empreendimentos Populares Solidários da Universidade Federal de Uberlândia), buscou-se destacar a participação feminina na construção desse movimento, bem como na implantação de práticas de sustentabilidade nestes empreendimentos. Os resultados confirmam o papel indispensável das mulheres no desenvolvimento de um modelo econômico, sustentável e igualitário, imprescindível para a superação das dicotomias de gênero existentes no cenário atual. Conclui-se que a participação feminina nas iniciativas de economia popular solidária, vinculadas aos princípios agroecológicos, é a forma mais eficiente de efetivação do ideal de sustentabilidade, na medida em que consolida uma alternativa aos meios tradicionais de produção.

Publicado
2020-05-12
Seção
CIFA - Feminismos, Agroecologia e Economia Solidária