Uso econômico e mudanças na biodiversidade de uma comunidade tradicional da Amazônia

  • Cezário Ferreira dos Santos Junior Universidade Estadual do Estado de Santa Catarina; Programa de Pós-Graduação em Produção Vegetal,
  • Marcio dos Santos Universidade Estadual do Estado de Santa Catarina; Programa de Pós-Graduação em Produção Vegetal
  • Aline Nunes Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia e Biociências
  • Dahise Brilinger Universidade Estadual do Estado de Santa Catarina; Programa de Pós-Graduação em Produção Vegetal,
Palavras-chave: Conhecimentos tradicionais, extrativismo, campesinato.

Resumo

Objetivou-se com a pesquisa observar as transformações do conhecimento tradicional associado a biodiversidade de uma comunidade amazônica. O estudo de caso foi realizado em uma comunidade tradicional, localizada no município de Abaetetuba/PA. Os camponeses no passado realizavam a extração do látex de seringueira e o cultivo de cana-de-açúcar. Atualmente, se identificam como assentados, pescadores e extrativistas. Para a coleta de informações, adotou-se o método de entrevista não diretiva e observação participante. De maneira complementar, utilizou-se como representativo do estudo uma “unidade de produção familiar”, que possibilitou observar como os camponeses estão se relacionando com o mercado e mantendo as reservas de seu patrimônio biológico. O estilo de vida adotado é caracterizado por um campesinato em transição mercantil, com extrativismo de espécies de valor comercial para satisfação econômica da família, que consequentemente vem provocando mudanças sobre a biodiversidade local. 

Publicado
2020-11-11