Desenvolvimento Inicial de Euterpe oleracea Mart. (Açai) Sob Estresse Hídrico, Gurupi-TO

  • Renata Carvalho da Silva Universidade Federal do Paraná, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal, Departamento de Engenharia e Tecnologia Florestal
  • Bruno Aurélio Campos Aguiar Universidade de Brasília, Programa de Pós-Graduação em Ciências Florestais
  • Valéria Cardoso Lopes Universidade Federal do Tocantins, Graduação em Engenharia Florestal
  • Flávia Bezerra Souza Universidade Federal do Tocantins, Programa de Pós-Graduação em Ciências Florestais e Ambientais
  • Priscila Bezerra de Souza Universidade Federal do Tocantins, Curso de Engenharia Florestal
Palavras-chave: Diâmetro, Mudas, Sobrevivência.

Resumo

Esta pesquisa teve como objetivo avaliar o desenvolvimento inicial das mudas de Euterpe oleracea em diferentes regimes hídricos sob as condições climáticas da região sul do Tocantins. As mudas receberam os seguintes tratamentos de água: 0, 3, 5 e 7 dias em regime hídrico e foram avaliadas aos 30, 45 e 60 dias nos diferentes tratamentos, a altura (cm) e diâmetro do colo (mm). No final do experimento, ou seja, aos 60 dias foram avaliados a massa seca da parte aérea (g), massa seca de raiz (g) e massa seca total (g). A sobrevivência das mudas foi menor para todos os parâmetros avaliados aos 5 e 7 dias sem água. A altura, diâmetro, massas seca de parte aérea, raiz e total foram maiores sob maior disponibilidade de água. O regime hídrico ideal na fase inicial é de 0 dias sem água, porém as mudas cresceram satisfatoriamente sob os 3 dias em regime hídrico. Os tratamentos 5 e 7 dias sem água não são recomendados pois as mudas entraram em estresse hídrico entre os 30 e 45 dias de cultivo.

Publicado
2020-11-11