A experiência com sementes crioulas do Quilombo Sítio Veiga: um estudo de caso

  • Maria Jardenes Matos Mestra em Sociobiodiversidade e Tecnologias Sustentáveis pela Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB)
  • Paula Andréia Bezerra Insaurralde Universidade Federal do Ceará, doutoranda do Programa Desenvolvimento e Meio Ambiente – PRODEMA
  • Maria do Socorro Moura Rufino Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB), Professora Efetiva
Palavras-chave: Sementes; preservação; resistência.

Resumo

A conservação e preservação das sementes crioulas são uma realidade em muitas comunidades rurais e quilombolas, uma maneira de conservar o material genético, social e histórico dessas localidades. A comunidade quilombola Sítio Veiga é formada por famílias que vivem da agricultura de subsistência e mantém viva as suas raízes escravas e cultura dos antepassados. O objetivo é registrar e descrever a interação dos quilombolas com as sementes crioulas e sua importância para a posterioridade do local. Nosso método está pautado no estudo de caso, através de visita de observação e coleta de dados, análise e interpretação do material encontrado. A história de ocupação e resistência dos moradores deste Quilombo e a construção da casa de sementes como forma de resistência à cultura do agronegócio e a uma política que nunca integrou o homem a terra. As informações nos forneceram a dimensão de como as famílias que ainda resistem no campo têm que conviver com dificuldades e a incerteza do amanhã.

Publicado
2020-11-25