Agrobiodiversidade Na Região Do Rio Amanari, Urucará-AM: Suas Variedades Crioulas

  • Julião Gonçalves Guimarães Universidade Federal do Amazonas, Instituto de Ciências Exatas e Tecnologia
  • Adolfo Melo Nascimento Universidade Federal do Amazonas, Instituto de Ciências Exatas e Tecnologia
  • José Nestor De Paula Lourenço Universidade Federal do Amazonas, Instituto de Ciências Exatas e Tecnologia
  • Santiago Linório Ferreyra Ramos Universidade Federal do Amazonas, Instituto de Ciências Exatas e Tecnologia
Palavras-chave: Conservação in situ, Banco de Sementes, Práticas Agroecológicas.

Resumo

Sabemos que a região norte do Brasil é rica em fauna e flora e que essa riqueza deve ser protegida e conhecida, além disso, existe uma particularidade de sistemas de produção que são reconhecidos como sustentáveis e permitem a coexistência de espécies, sejam em quintais agroecológicos ou monocultivos. Buscou-se com esse trabalho realizar o levantamento de populações caboclas de milho, mandioca e feijão cultivados pelos agricultores tradicionais da região do rio Amanari, Urucará, na busca de conhecimento e variedades locais para conservação in situ. Em vista da grande erosão genética que é vivida hoje realizar a conservação de materiais vegetais que são pouco utilizados é de fundamental importância para utilização em futuros melhoramentos. Para desenvolver essa pesquisa adotou-se a metodologia do Diagnóstico Rural Participativo, permitindo alcançar o levantamento de 64 espécies vegetais divididas em 33 famílias botânicas em propriedades não maiores que 10 hectares.

Publicado
2020-11-25