Casa de Sementes Crioulas Guarani Tengatui Marangatui: Na perspectiva, da comunidade Indígena Jaguapiru e Bororó de Dourados/MS

  • Cajetano Vera Professor na Escola Municipal Indígena Tengatui Marangatu, na Aldeia de Dourados /MS
Palavras-chave: Sementes Crioulas, Agroecologia, Sustentabilidade

Resumo

A Aldeia de Dourados conta com uma populações com cerca de 17 mil indígenas de três Etnias: Kaiowá, Nhandéva e Terena. A roça predominante é a monocultura de soja e milho. Porém, existe produção em pequena escala (roça de quintais), variedades de milhos, abobrinha, mandiocas, legumes, batatas, etcs. Essa produção é restrita em algumas famílias devido à falta de recursos assistências técnicas, materiais e financiamentos para o cultivo. Por esta razão, existem famílias que possuem terras maiores, arrendam para um terceiro.  E, muitas vezes acabam vendendo este pedaço de terra e caem nas dependências, das cestas básica procedente da Funai, Governo do Estado e Ongs.  A implantação da Casa De Sementes com certeza é uma novidade para comunidade indígena de Dourados/MS. Neste ano de 2020, já existem 10 familias que levaram suas sementes para guardar neste espaço. Então, o Paradigma precisar quebradas como conhecimento tradicional verso conhecimento Científico. O conhecimento construído por Etnias, por milhares de anos, precisa ser reconhecido por conhecimento Científico. Pois, mesmo uma Sociedade Autóctone, tem conhecimento relevante e comprovada. O conhecimento tradicional precisa caminhar com o conhecimento Científico. Pois ambas são importantes, principalmente nas Etnias.

Publicado
2020-11-25