ORGANIZAÇÃO POLÍTICA DE TRABALHADORAS RURAIS E LUTA POR IGUALDADE DE GÊNERO: UMA ANÁLISE DO SEU PAPEL NA CONSTRUÇÃO DA CONVIVÊNCIA COM O SEMIÁRIDO

  • Júlia Carla Duarte Cavalcante
Palavras-chave: Gênero; Meio Ambiente; Semiárido.

Resumo

As problemáticas que envolvem a análise do semiárido brasileiro têm como uma de suas diversas
determinações a forma com que as mulheres rurais são afetadas particularmente pelas questões
socioambientais. A maneira com que as questões de gênero e ambiental se apresentam nesses
territórios apontam fortes correlações. Este artigo objetiva revisitar as bases de formulação da
proposta de convivência com o semiárido sob uma perspectiva de gênero, através das
experiências de atuação política construídas por organizações de trabalhadoras rurais incidentes
na região. O presente estudo foi realizado a partir de uma revisão bibliográfica no tema cujas
bases se inserem no campo teórico da análise materialista das relações sociais. Foi empreendida
uma abordagem qualitativa e descritiva de registros documentais primários e secundários
provenientes de organizações políticas de mulheres trabalhadoras rurais no semiárido, bem como
alguns dados extraídos de órgãos públicos provedores de estatísticas. O trabalho mostrou a
existência de mecanismos que compõem a estrutura de divisão social/sexual do trabalho e suas
implicações no contexto das mulheres rurais. A análise verifica que, por meio das experiências
de incidência de movimentos e organizações populares nessa realidade, tem ocorrido um avanço
na construção de propostas que tornem possível a construção de uma convivência com o
semiárido na qual também esteja incluída o horizonte de superação das desigualdades entre
homens e mulheres.

Publicado
2021-07-09
Seção
Trabalhos apresentados sobre Mulheres, Feminismos e Agroecologia