PRÁXIS DA PESQUISA NÃO-EXTRATIVISTA: O PENSAR E CONHECER EM PESQUISAS DESENVOLVIDAS POR MULHERES

  • Anna Fridha Santos Ott
  • Ana Clara Nery da Silva
  • Kátia Carolino
  • Clara Ribeiro Camargo
Palavras-chave: agroecologia; mulheres; educação ambiental; pesquisa não extrativista.

Resumo

O presente ensaio busca relacionar os nexos entre pesquisa engajada e não extrativista com a produção de alimentos em diferentes territórios a partir de pesquisas desenvolvidas por mulheres. Estas buscam uma outra forma de produção de conhecimento, pautada na retomada e partilha de saberes, na superação dos epistemicídios e na inclusão dos modos de ser, fazer e conhecer vinculados ao feminino. No contexto de intensa crise socioambiental pelo qual passamos, é necessário constituir uma outra forma de saber, inclusive aquele que se atenha sobre a forma como os alimentos são produzidos e consumidos, ou seja, como o processo acontece, quem os produz, para quem produz, e quem os consome na busca da autonomia e soberania alimentar. As pesquisas aqui apresentadas trazem esses questionamentos como cerne, almejando a constituição de conhecimentos que nos pautem para uma cultura outra, que valorize a terra, Terra e territórios. O percurso deste ensaio se deu através de uma revisão bibliográfica dos temas e no diálogo entre as pesquisadoras, almejando estreitar pontos de entrelaço entre suas atuações. Percebendo a necessidade de tornar a universidade pública um espaço de múltiplos saberes e vozes, que supere o patriarcado e o racismo, trazemos as nossas pesquisas como prática no intuito de fortalecer esses outros saberes, por muito tempo, silenciados.   

Publicado
2021-07-28
Seção
Trabalhos apresentados sobre Mulheres, Feminismos e Agroecologia