Aspectos ecológicos de Cratylia argentea na região central de Minas Gerais

  • MATRANGOLO, Walter J. R. Embrapa Milho e Sorgo
  • SILVA, Iago H. F. da UFSJ/Campus Sete Lagoas
  • ALMEIDA, Letícia G. UFSJ/Campus Sete Lagoas
  • CRUZ, Samara C. B. da UFSJ/Campus Sete Lagoas
  • MALTA, Paôla da C. C. UFSJ/Campus Sete Lagoas
  • GOMES, Savanna X. UFSJ/Campus Sete Lagoas
Palavras-chave: Fenologia, artrópodes visitantes, rede para construção do conhecimento, Cerrado

Resumo

Aspectos ecológicos de Cratylia argentea foram estudados na região Central de Minas Gerais
para avaliar seu potencial em ofertar serviços ambientais aos sistemas agroecológicos. Durante
as visitas às 13 unidades de observação/experimentação (UOE), ocorridas entre 2009 e
2017, foram feitos registros fotográficos, que permitiram caracterizar seus padrões fenológicos
ao longo do ano, sua reação a fatores abióticos (fogo, estresse hídrico), bióticos (herbivoria de
formigas Atta sp. e de abelhas Trigona sp.) e qualificar a presença de artrópodes e vertebrados
em seu dossel. A diferenciação floral de C. argentea inicia-se no final do mês de fevereiro.
As flores se abrem entre abril e outubro, com maior intensidade entre junho e agosto. C.
argentea apresentou forte rebrota após queimadas e herbivoria de Atta sp., mesmo durante
período de estiagem. As abelhas representaram 15,5% dos artrópodos visitantes, agentes de
controle biológico, 24% e fitófagos, 60,5%.

Publicado
2018-08-22