Teste de germinação de sementes de Mauritia flexuosa em diferentes tratamentos

  • José Aparecido Macedo Instituto de Pesquisa em Educação Ambiental - Gaia
  • Joicy Silva Farias Universidade do Estado de Mato Grosso
  • Solange Kimie Ikeda Castrillon Universidade do Estado de Mato Grosso
  • Elisangela Francisca da Silva Universidade do Estado de Mato Grosso
  • José Ricardo Castrillon Fernandez Instituto Federal de Mato Grosso
Palavras-chave: Palmeira; importância ecológica; eficiência germinativa, emergência; mudas.

Resumo

Mauritia flexuosa (Buriti)  é uma palmeira nativa, uma das maiores da floresta amazônica, apresenta diversos beneficios no ramo de alimentos, cosméticos, remédios e agregando renda as familias atraves da comercializaçao. O objetivo deste trabalho foi avaliar a eficiência germinativa dos tratamentos para a semente de Mauritia flexuosa (Buriti) sendo eles escalificacao (T1), testemunha (T2), lona preta (T3), sem polpa (T4), imersão em coca cola durante 7 dias (T5), e imersão em agua durante 7 dias (T6). Cada tratamento teve 4 repetições contendo 25 sementes totalizando ao final 600 sementes. Os resultados demostram que a retirada da polpa da semente (T4) e imersão em agua durante 7 dias (T6) foram mais eficientes e ao analisar o tempo médio de emergência a testemunha demorou mais tempo para germinar.

Publicado
2020-09-13
Seção
CBA - Manejo de Agroecossistemas de Base Ecológica