O sentido do Associativismo na Educação do Campo

  • Mateus Silva Ferreira Universidade Federal do Recôncavo Baiano
  • Mabilly Amaral Gonçalves Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano- Uruçuca
  • Débora Campos Marcilio Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano- Uruçuca
  • Lucas Silva Ferreira Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano- Uruçuca
  • Antônio Domingos Moreira Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
Palavras-chave: Trabalho; Associativismo; Luta; Cooperação; Direito.

Resumo

Resumo

 A educação do campo é um projeto popular elaborado pela classe trabalhadora do campo e movimentos sociais. A educação do campo não se baseia somente na construção de um currículo escolar fundamentado na contra hegemonia, ela constrói relações entre educação, trabalho e reflexão da existência e consciência da vida. A pesquisa se constitui no interesse de compreender a organicidade e desenvolvimento da associação, bem como a emancipação nas condições de vidas dos participantes e importância do associativismo no projeto de educação do campo. Os métodos adotado se fundamentou a base da coleta de dados a partir da aplicação de questionários e observação participativa alinhada à revisão sistemática de bibliografias. Os questionários foram aplicados mediante a reunião realizada mensalmente. A associação dos Pequenos Produtores Rurais do Pau Branco está localizada na comunidade de Pau Branco, cidade de Riacho de Santana - BA. A associação dos Pequenos Produtores Rurais iniciou suas organicidades a partir de abril de 1990 e atualmente a associação possui 92 integrantes vinculados às atividades produtivas. As principais fontes de renda das famílias se constituem a base da pecuária, agricultura e beneficiamento de alimentos, os produtos produzidos são derivados da horticultura como cebolinha, rúcula, coentro e alface, além de doces, bolos de mandioca, bolos de milho, pão, chimango, chiringa, polpas de frutas e farinha. O trabalho organizado na cooperação gera um mecanismo democrático e auto gerenciados por interesses sociais e emancipatório. Com isso, conclui que nunca foi fácil e nunca será, mas as organizações coletivas demostram potencial de desorganizar a estrutura dos interesses exploratório do capitalismo.

Publicado
2020-08-04