A percepção social sobre a educação agroecológica nos cursos de Ciências Agrárias da UFRN: disputas por estados de consciência na Escola Agrícola de Jundiaí

  • Francisco das Chagas Gomes de Queiroz Júnior UFRN
  • Pedro Lucas Moura Morais
  • Cimone Rozendo
Palavras-chave: Agroecologia, Pedagogia, Ensino agroecologico, extensão rural, hegemonia

Resumo

Este trabalho parte de pesquisa em andamento sobre dinâmicas de ensino e educação agroecológicos na Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ) para compreender como se estabelece a discussão sobre a transição agroecológica e como docentes e discentes percebem a aplicação desses saberes e práticas. Reflete sobre as práticas e representações de setores dominantes; disputas por momentos de consciência; o papel da sociedade civil no embate discursivo entre o Fazer Agroecológico e a hegemonia do agronegócio. Utiliza do método de entrevistas semiestruturadas com agricultores de Natal e região metropolitana, e professores da EAJ; e analisa produção acadêmica sobre o tema. Observa que, após longo e contínuo processo de luta agroecológica pela democratização da extensão rural, há significativas contribuições para a construção de novos horizontes na relação entre sociedade e natureza. Vê a sociedade civil não apenas como palco da luta de classes, mas também sendo ela própria luta com origem de classe. Logo, quanto ao embate pela dominação de hegemonia na disputa Agroecologia-Agronegócio, a consciência coletiva é forjada no solo da socialização concreta dos agentes envolvidos.

Publicado
2020-08-04