Decomposição de Diferentes Espécies de Leguminosas

  • Diovany Doffinger Ramos UFMS
  • Leidiane Teixeira da Silva FRANCO
  • Ana Cristina Araújo AJALLA
  • Deives Gabriel Bortolanza SANTOS
  • Felipe André DOS SANTOS
Palavras-chave: resíduo orgânico, leguminosas, constante de decomposição

Resumo

O presente trabalho teve por objetivo avaliar a dinâmica de decomposição e o tempo de meia vida de diferentes espécies de adubo verde. Os tratamentos foram constituídos de quatro espécies de adubos verdes (Crotalaria juncea, Cajanus cajan, Canavalia ensiformis, Mucuna aterrima e o Consórcio (C. juncea + C. cajan), arranjados no delineamento experimental de blocos ao acaso, com quatro repetições. O corte dos adubos verdes foi realizado aos 97 dias após a semeadura dos mesmos. A área útil amostrada para determinação da biomassa fresca e seca foi de 2,16 m2. As taxas de perda de matéria seca foram monitoradas através de coletas dos litter bags realizadas aos 15, 30, 60, 120 e 180 dias após o corte dos adubos verdes, e então, calculadas a constante de decomposição e o tempo de meia vida para cada uma das espécies estudadas. A maior média de produção de biomassa seca (11,15 t ha-1) foi obtida para o consórcio (C. juncea + C. cajan) e não diferiu estatisticamente da espécie Crotalaria juncea e Cajanus cajan. As perdas de resíduo orgânico nos litter bags se ajustaram a função de decaimento exponencial simples (xt = x0 e-kt), sendo o coeficiente de correlação médio para todas as espécies estudadas de R2 = 0,966. A constante de decomposição variou entre (0,0087 – 0,0052 dias-1) para as espécies estudadas. A Crotalaria juncea apresentou a menor constante de decomposição (0,0052 dias-1) e, consequentemente, o maior tempo de meia vida (133 dias).

Publicado
2018-12-28
Seção
AGROECOL - Uso e Conservação dos Recursos Naturais