Pimenta Ornamental em Bancadas Reflexivas Colorida em Diferentes Ambientes Protegidos em Transição Agroecológica

  • Alexandre Henrique Freitas de Lima Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
  • Josiane Souza Salles
  • Jussara Souza Salles
  • Edilson Costa
  • Wilson Itamar Maruyama
Palavras-chave: Capsicum frutescens, material refletor e ambiência vegetal

Resumo

O cultivo de pimenta tem se intensificado em todo o Brasil, inclusive as pimenteiras ornamentais, podendo servir como uma alternativa para a geração de renda na agricultura familiar. O presente trabalho teve como objetivo avaliar diferentes cores de materiais reflexivos sobre bancadas em ambientes protegidos em transição agroecológica com diferentes níveis de sombreamento para a produção de pimenta ornamental, na região de Cassilândia – MS. Os experimentos foram desenvolvidos na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, Unidade de Cassilândia-MS. Foram utilizados três ambientes de cultivo com diferentes níveis de sombreamento: 1): estufa agrícola com 22% de sombreamento (A1); estufa agrícola com 42% de sombreamento (A2) e telado agrícola com 18% de sombreamento (A3). Foram avaliados dentro de cada ambiente de cultivo 3 tipos de materiais refletores de luz solar dispostos sobre as bancadas, formando 4 diferentes bancadas, sendo estes uma bancada sem material reflexivo colorido (Testemunha), bancada constituída de papel laminado de cor vermelha, papel laminado de cor azul e papel laminado de cor prata (papel alumínio). O experimento foi conduzido no delineamento experimental inteiramente casualizado com 5 repetições de 5 plantas. Foram analisados a alturae diâmetro de plantas, quantidade de botões florais, flores e frutos por planta, circularidade e esfericidade dos frutos. Os dados foram submetidos à análise de variância (teste F) e as médias comparadas pelo teste de Scott-Knott 5% de probabilidade. O ambiente com 42% de sombreamento, formou plantas com maior quantidade de frutos e as bancadas reflexivas não influenciaram nas variáveis de crescimento e produção.

Publicado
2019-01-05
Seção
AGROECOL - Manejo de Agroecossistemas Sustentáveis