Efeito de Plantas de Cobertura no Desenvolvimento Vegetativo de Cultivares de Cebola irrigada em Dourados/MS

  • Cristiane Ferrari Bezerra Santos UFGD
  • Guilherme Augusto Biscaro UFGD
  • Karoline Kovaleski Bertoldo Drehmer UFGD
  • Michele da Silva Gomes UFGD
  • Patricia dos Santos Zomerfeld UFGD
Palavras-chave: Allium cepa L., plantio direto, pseudocaule, adubação verde

Resumo

A cultura da cebola ocupa lugar de importância entre as hortaliças cultivadas no Brasil, destacando-se como alternativa de geração de renda e fixação do homem no campo. Aliado a isso, o uso de plantas de cobertura no cultivo de hortaliças traz benefícios em relação ao solo nas características físicas, químicas e biológicas, com impacto direto na melhoria do desenvolvimento das culturas econômicas. Objetivou-se avaliar o desenvolvimento vegetativo de cultivares de cebola sob o cultivo de diferentes plantas de cobertura. O experimento foi desenvolvido na área de Irrigação, na Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados-MS. O delineamento experimental utilizado foi de blocos casualizados em parcelas subdivididas, com quatro repetições, cinco sistemas de cultivo: testemunha (vegetação espontânea); cultivo de cebola em sucessão a Milheto; cultivo de cebola em sucessão a Feijão-de-porco; cultivo de cebola em sucessão a Mucuna-preta; cultivo de cebola em sucessão a Crotalária juncea e duas cultivares híbridas de cebola (Andromeda e Aquarius). Avaliou-se: diâmetro de pseudocaule (mm) e comprimento de pseudocaule (cm). As plantas de cobertura influenciaram no desenvolvimento vegetativo das cultivares de cebola. A Crotalária juncea, o Feijão-de-porco e o Milheto promoveram os maiores incrementos no diâmetro de pseudocaule de cebola em ambas cultivares avaliadas. A cultivar Andromeda apresentou valores de comprimento de pseudocaule superiores a cultivar Aquarius em sucessão ao Milheto e ao tratamento testemunha.  A cultivar Aquarius obteve os maiores valores de comprimento de pseudocaule de cebola em cultivo com a sucessão aos adubos verdes em detrimento ao cultivo com o tratamento testemunha.

Biografia do Autor

Guilherme Augusto Biscaro, UFGD

Diretor da Faculdade de Ciências Agrárias da UFGD desde 2015. Tutor do Programa de Educação Tutorial (PET) do curso de Engenharia Agrícola (PET-EA), de 2010 a 2016. Possui graduação em Engenharia Agrícola (1995) pela Universidade Federal de Lavras, UFLA, mestrado (1999) e doutorado (2003) em Irrigação e Drenagem pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP. Foi professor adjunto nivel IV (2004 a 2008) da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, UEMS, aonde atuou como professor de Irrigação e coordenador do curso de graduação em Agronomia (2006) na Unidade Universitária de Cassilândia. Atualmente é professor Associado de Irrigação e Drenagem e Relações Água-Solo-Planta-Atmosfera nos cursos de graduação em Agronomia e Engenharia Agrícola da Universidade Federal da Grande Dourados, UFGD, Faculdade de Ciências Agrárias, FCA. Foi coordenador do curso de graduação em Engenharia Agrícola nos anos de 2009 e 2010. Atua como professor e orientador nos programas de Pós-Graduação em Produção Vegetal (mestrado e doutorado) e de Engenharia Agrícola (mestrado) da FCA/UFGD. Tem experiência na área de pesquisa em Irrigação, atuando principalmente nos seguintes temas: manejo de sistemas de irrigação localizada e por aspersão, evapotranspiração, nutrição mineral de plantas, fertirrigação e produção de mudas. É autor dos livros Sistemas de Irrigação por Aspersão (2009), Sistemas de Irrigação Localizada (2014) e Meteorologia Agrícola Básica (2007).

Karoline Kovaleski Bertoldo Drehmer, UFGD

Graduanda em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). Bolsista de Inciciação Científica pela UFGD na área de Irrigação.

Michele da Silva Gomes, UFGD

Graduada no Curso Superior de Tecnologia em Agroecologia, na Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul - UEMS, mestre em Agronomia (Produção Vegetal) pela Universidade Federal da Grande Dourados - UFGD. Possui experiencia na área da Bioindicadores de Qualidade do Solo, biomassa microbiana do solo, macrofauna epigeica, avaliações físico hídricas do solo em diferentes sistemas de produção, manejo e fertilidade do solo em produções agroecológicas e sistemas de plantio direto e convencional em lavouras canavieiras, entre outros.

Patricia dos Santos Zomerfeld, UFGD

Possui Graduação em Agronomia pela Universidade Federal da Grande Dourados(2018). Foi bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Cientifica (PIBIC- CNPq/ UFGD), tendo realizado trabalho no desenvolvimento de um sistema de injeção de fertilizantes de baixo custo para ser utilizado em pequenas propriedades rurais- sistema FERTIPET( 2010/2011). Tem experiencia na área de Agronomia, com enfase em sistema de produção de hortaliças, sistemas e manejo de irrigação e fertirrigação. Atualmente é integrante do grupo de pesquisa GEIR- Grupo de Estudos em Irrigação (manejo da irrigação dimensionamento de sistemas, fertirrigação).

Publicado
2019-01-05
Seção
AGROECOL - Manejo de Agroecossistemas Sustentáveis