Avaliação da Qualidade de Sementes de Farinha-Seca (Albizia hasslerii) pelo Teste de Tetrazólio

  • Eny Duboc Embrapa Agropecuária Oeste
  • Maria Carolina Arruda Silveira
  • Taynara Faria Nascentes
Palavras-chave: Germinação, Vigor, Semeadura Direta.

Resumo

Métodos mais baratos de recuperação da vegetação arbórea nativa em áreas degradadas, como a semeadura direta no campo, necessitam superar algumas barreiras como a elevada quantidade de sementes requeridas e, também, a diferença entre os percentuais de germinação obtidos em campo e laboratório. Neste sentido, a aplicação de testes mais rápidos do que os tradicionais de germinação, podem auxiliar na determinação da qualidade das sementes. Nesse estudo, avaliou-se qualidade de sementes de farinha-seca (Albizia hasslerii) pelo teste de tetrazólio, comparando com a germinação obtida em laboratório e no viveiro. Foram realizados testes de germinação em câmara de crescimento BOD (Biochemical Oxigen Demand), em sementeira em casa de vegetação, e teste com 2,3,5 trifenil cloreto de tetrazólio em duas concentrações (0,3% e 0,5%). Os resultados alcançados indicaram que o percentual de sementes viáveis, obtido em sementes escarificadas em ácido sulfúrico por 3 minutos, antes da embebição por 24 horas para retirada do tegumento, e imersas em solução de tetrazólio na concentração de 0,5% por 2 horas, é semelhante ao percentual de germinação obtido em BOD e em casa de vegetação.

Publicado
2018-12-28
Seção
AGROECOL - Uso e Conservação dos Recursos Naturais