Em defesa da “mulher roceira, enxerto da terra”

a importância do debate de gênero na escola do campo e outras urgências

  • Mariana Esteves de Oliveira UFMS
Palavras-chave: Educação do Campo; Gênero; Mulheres Camponesas; Currículo.

Resumo

Neste texto, apresentamos alguns conceitos relativos ao movimento da Educação do Campo e dos estudos de gênero para propor as necessárias articulações entre o debate acerca da desigualdade de gênero e da violência contra a mulher como item fundamental ao currículo educacional a ser desenvolvido nas escolas do campo. A retomada do debate proposto se dá em função do crescimento de movimentos como Escola Sem Partido e combate a uma suposta “ideologia de gênero” que atuam de forma reacionária na organização dos parâmetros didáticos em esferas legais e no chão da escola. Tendo em vista a experiência social das mulheres nas lutas pela terra e pela escola do campo, bem como a predominância da violência de gênero no campo, justificamos e propomos aqui a urgência de se organizar sistematicamente um currículo progressista para o ensejo de uma educação verdadeiramente libertária.

Publicado
2018-12-28