Bioatividade de Extratos Hidroalcóolicos sobre Aphis spp. na Cultura da Acerola

  • Juliana Rocha Andrade UEMS-UUC
  • Luciana Claudia Toscano UEMS
  • Eliamara Marques Silva UEMS
  • Renato de Souza Martins UEMS
  • Gabriel Rodrigo Merlotto UEMS
Palavras-chave: Plantas Inseticidas, Controle de Pragas, Controle Biológico.

Resumo

A aceroleira (Malpighia punicifolia L) é uma frutífera da família Malpighiaceae, originada da América Central que possui grande adaptação em climas tropicais, que sofre ataque de diversas pragas como pulgões do gênero Aphis pertencente à família Aphididae. O objetivo deste trabalho foi avaliar a atividade inseticida de extratos hidroalcoólicos de espécies de plantas sobre o Aphis na cultura da acerola.  Os tratamentos foram: T1: testemunha (água destilada); T2: bulbos de alho (Alliumsativum); T3: rizomas de gengibre (Zingiberofficinale); T4: folhas de nim (Azadirachta indica); T5: folhas de arruda (Rutagraveolens); T6: folhas de canela (Cinnamomumverum); T7: folhas e ramos de graviola (Annonamuricata), com dez repetições. Quatro ninfas recém-eclodidas de Aphis foram depositadas sobre discos foliares de acerola com 3 cm de diâmetro, individualizados em placas de Petri de 9 cm de diâmetro contendo uma camada de algodão umedecido com água destilada. Com o auxílio de um pulverizador manual, os insetos receberam 2 mL-1 dos tratamentos por placa de Petri. As placas foram fechadas com filme plástico transparente e armazenadas em B.O.D a 26,0 ± 1,0 °C e UR de 70 ± 10%. Após 24 horas contou-se o número de ninfas mortas no disco foliar e fora do disco. Extratos hidroalcoólicos de folhas de nim, arruda e canela possuem atividade inseticida sobre Aphis spp. na cultura da acerola. Nenhum extrato avaliado possui ação de repelência sobre a praga.

Publicado
2019-01-05
Seção
AGROECOL - Manejo de Agroecossistemas Sustentáveis