Fenologia Reprodutiva de Pitanga (Eugenia pitanga) no Pantanal

  • Camila Aoki Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Matheus Dias Gomes Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Lidianei dos Santos Savala Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Gabriela Canella Gregório Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Vinícius Massaranduba Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Palavras-chave: Myrtaceae, floração, frutificação, variáveis climáticas, restrições filogenéticas

Resumo

Estudos fenológicos são fundamentais para o entendimento dos ciclos biológicos de plantas e, no caso das espécies com potencial uso comercial, como é o caso da pitanga, o conhecimento gerado pode possibilitar o uso mais adequado e sustentável dos recursos e possibilitar a produção de mudas e manutenção genética das espécies. O objetivo do estudo foi gerar informações acerca da fenologia de pitanga no Pantanal, bioma para o qual essas informações são inexistentes. O estudo foi conduzido no Pantanal (sub-região de Aquidauana), mensalmente ao longo de dois anos em 30 parcelas fixas de 100m². Todos os indivíduos observados nas parcelas (n=30) receberam lacres e foram acompanhados quanto à produção de flores e frutos. A floração teve duração intermediária e ocorreu no final da estação seca, início da chuvosa. A frutificação é breve a intermediária e ocorre no início da estação chuvosa. Ambas as fenofases são sazonais, anuais e regulares. Nenhuma das variáveis climáticas (temperatura média, precipitação ou fotoperíodo) explicaram as fenofases reprodutivas, e o padrão encontrado pode indicar ocorrência de restrições filogenéticas.

Publicado
2018-12-28
Seção
AGROECOL - Uso e Conservação dos Recursos Naturais