Variabilidade espacial da emissão de CO2 em sistema silvipastoril e pastagem degradada na região do Cerrado

  • Deise Cristina Santos Nogueira Universidade Estadual Paulista
  • Renan Francisco Rimoldi Tavanti Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira
  • Rafael Montanari Universidade Estadual Paulista
  • Newton La Scala Júnior Universidade Estadual Paulista
  • Alan Rodrigo Panosso Universidade Estadual Paulista
Palavras-chave: Dinâmica do carbono., Estoque de carbono., Geoestatística.

Resumo

Sistemas de produção conservacionistas tais como o silvipastoril tem sido adotado como prática promissora na redução das perdas de carbono do solo via emissão de CO2, em áreas agrícolas. O objetivo do trabalho foi estudar a variabilidade espacial da estabilidade do carbono do solo em sistema silvipastoril e pastagem degradada no Cerrado do Mato Grosso do Sul por meio do fator k. O sistema silvipastoril caracteriza-se pelo consórcio de floresta de aroeira vermelha + capim braquiária e na pastagem degradada apenas cultivo da braquiária. A medição da emissão de CO2 do solo (FCO2) foi realizada com o sistema LI-8100 (LI-COR) nos meses de maio e junho de 2018. Além disso, foram determinados o estoque de carbono dos solos na profundidade de 0,00 -0,20 m e a constante de decaimento do carbono (fator k). O sistema silvipastoril apresentou maior emissão total de CO2 (2,99 Mg ha-1) no período de oito dias de avaliação quando comparados aos valores de emissão total observados na pastagem degrada (2,07 Mg ha-1) com valores de estoque de carbono iguais a 37,95 Mg ha-1 e 19,27 Mg ha-1, respectivamente. O sistema silvipastoril apresentou menores valor do fator k (0,08) em relação à pastagem degradada (0,10), assim esse sistema apesar de apresentar maiores valores de emissão total de CO2 mostra-se mais sustentável em relação à pastagem degradada, pois retém maior quantidade de carbono no seu solo. No sistema silvipastoril, o estoque de carbono apresentou uma maior variabilidade (a=8,30 m) em relação à pastagem degradada, porém o fator k apresentou valores de alcance próximos (10,20 m e 10,90 m) na pastagem degradada e sistema silvipastoril respectivamente. O sistema silvipastoril apresenta maior quantidade de carbono em seu solo apresentando grande potencial como sumidouro de carbono para a atmosfera.

Publicado
2020-04-08