Plantio direto de brócolis sobre diferentes coberturas e doses de nitrogênio

  • Guilherme Deodato França Instituto Federal do Triângulo Mineiro
  • José Luiz Rodrigues Torres Instituto Federal do Triângulo Mineiro
  • João Henrique de Souza Favaro Instituto Federal do Triângulo Mineiro
  • Fernando Rodrigues da Cunha Gomes Instituto Federal do Triângulo Mineiro
  • Diemisson Oliveira Nunes Instituto Federal do Triângulo Mineiro
  • João Pedro Moreira Instituto Federal do Triângulo Mineiro
Palavras-chave: Brassica oleracea var. itálica L., Plantas de cobertura., Ciclagem de nutrientes.

Resumo

A utilização de plantas de cobertura antecedendo o cultivo de hortaliças pode ser uma das alternativas utilizadas para diminuir o uso de fertilizantes mineral. Neste estudo objetivou-se avaliar a influência do cultivo de diferentes coberturas do solo antecedendo o plantio da hortaliça, no desempenho agronômico e no rendimento do brócolis. O delineamento utilizado foi de blocos ao acaso em esquema fatorial 4x3, sendo utilizadas quatro coberturas do solo: Crotalária (C), braquiária (B), milheto (M) e crotalária + milheto (C + M), três doses adubação; 0,0%; 50% (50 kg ha-1de P2O5, 50 kg ha-1de K2O e 75 kg ha-1de N); e 100 % (100 kg ha-1de P2O5, 100 kg ha-1de K2O e 150 kg ha-1 de N) da dose recomendada, com quatro repetições, em parcelas de 40 m2 (4,0 x 10,0 m). Avaliaram-se a produção de biomassa fresca (BF) e seca (BS) das coberturas; após a colheita foram avaliado o número de folhas (NF), altura da cabeça (A), massa fresca da cabeça (MFC) e massa seca (MSC) da cabeça e produtividade (Prod). A maior produção de BS ocorreu nas parcelas onde havia a mistura C + M. Todas as plantas de cobertura tiveram suas decomposições acelerada, devido à umidade proporcionada pela irrigação. Os resíduos culturais das coberturas utilizadas influenciaram positivamente as características agronômicas dos brócolis, que apresentou melhor desempenho quando a planta foi cultivada sobre os resíduos de Fabáceas.

Publicado
2020-03-31