Rugosidade do solo e cobertura vegetal em diferentes sistemas de preparo do solo

  • Urbano Teixeira Guimarães e Silva Universidade Federal de Viçosa
  • Yara Karine de Silva Lima Universidade Federal de Viçosa
  • Alberto Carvalho Filho Universidade Federal de Viçosa
  • Renato Adriane Alves Ruas Universidade Federal de Viçosa
  • Luís Cesar Dias Drumond Universidade Federal de Viçosa
Palavras-chave: Perfilêmetro., Revolvimento., Alteração na camada mobilizada.

Resumo

Os equipamentos podem ocasionar diferentes perfis de solo mobilizado em função de sua classe e intensidade das operações, determinando as condições físicas para desenvolvimento das culturas e degradação da sua qualidade física do solo. Procurando relacionar os sistemas de preparo periódico com as alterações na superfície do solo, foi instalado um experimento em LATOSSOLO VERMELHO-AMARELO Distrófico, com textura argilosa, no município de Rio Paranaíba – MG. O delineamento experimental foi inteiramente ao acaso, com 5 tratamentos e 4 repetições, tendo como tratamentos o preparo primário do solo com: arado de aivecas, arado de discos, grade aradora intermediária, escarificador e enxada rotativa. Foram avaliados: índice de rugosidade superficial, modificação da rugosidade superficial, área mobilizada, área de elevação, empolamento, espessura média da camada mobilizada e cobertura do solo. Verificou-se que o arado de aivecas proporcionou maior modificação do índice de rugosidade superficial e maior capacidade de penetração e mobilização do solo. O escarificador, equipado com rolo destorroador nivelador, ocasionou menor índice de rugosidade superficial, porém, ainda é adequado ao preparo conservacionista por não inverter a camada de solo mobilizado, mantendo a cobertura vegetal e dispensando uma operação de preparo secundário.

Publicado
2020-03-31