Certificação Orgânica de Cultivos de Guaraná Originários de Sementes Nativas pelas Comunidades Tradicionais do Alto Urupadí, Maués, AM

  • Cloves Farias Pereira Universidade Federal do Amazonas
  • Suzy Cristina Pedroza da Silva Universidade Federal do Amazonas
  • Miquel Victor Batista Donegá Universidade Federal do Amazonas
  • Therezinha de Jesus Pinto Fraxe Universidade Federal do Amazonas
  • Sophia Kathleen da Silva Lopes Universidade Federal do Amazonas
  • Stephany Farias Cascaes Universidade Federal do Amazonas
  • Orlanda da Conceição Machado Aguiar Universidade Federal do Amazonas
  • Sidney Viana Cad Junior Universidade Federal do Amazonas
  • Lídia Letícia Lima Trindade Universidade Federal do Amazonas
  • João Vitor Ribeiro Gomes Pereira Universidade Federal do Amazonas
Palavras-chave: Inovação social, diferenciação, mercado e produtos orgânicos.

Resumo

Este trabalho tem como objetivo descrever o processo de certificação em grupo, com o propósito de documentar essa experiência para que sirva de base para a valorização dos produtos das comunidades tradicionais, por fim, busca refletir sobre a importância das sementes nativas na conservação da agrobiodiversidade da Amazônia. O estudo foi realizado na região do Alto Urupadí, no município de Maués. A pesquisa consistiu em um estudo sociológico e etnográfico. Os resultados demonstram que as espécies agrícolas mais cultivadas são o guaraná e a mandioca que estão imbricados no sistema agrícola tradicional. Este sistema adquire um significado especial, porque os moradores combinam o manejo múltiplo dos ambientes e uma diversidade de plantas cultivadas e agora passam para uma importante fase, a certificação em grupo. O manejo tradicional alinhando com a certificação em grupo foi entendido como uma inovação social, assim seus produtos são diferenciados e podem acessar os mercados nacional e internacional.

Publicado
2020-11-20