Banco de Sementes Crioulas do Grupo de Agroecologia Gaia – RS

  • Marina Augusta Tauil Bernardo Mestranda no Programa de Pós-graduação em Extensão Rural pela Universidade Federal de Santa Maria
  • Felipe Henrique Huff Mestrando Profissional Ambiente e Sustentabilidade pela Universidade Estadual do Rio Grande do Sul
  • Vitória da Silva Domingues Graduanda Agronomia pela Universidade Estadual do Rio Grande do Sul
  • Janaína Tauil Bernardo Professora Adjunta na Universidade Estadual do Rio Grande do Sul
  • Rafael Narciso Meirelles Professor Adjunto na Universidade Estadual do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: Agroecologia; Agrobiodiversidade; Agricultura Familiar; Sustentabilidade

Resumo

As sementes crioulas possuem valor histórico e simbólico que traduzem o trabalho de seleção natural passado de geração em geração e que são mantidas de forma local por guardiões e guardiãs amparados por ações com vistas a promover e apoiar estratégias de incluir a agricultura familiar no processo que leva à sustentabilidade socioeconômica e ambiental. A partir da metodologia de pesquisa qualitativa, com a utilização de procedimento bibliográfico e documental, o objetivo do trabalho foi elucidar a formação e atuação do Banco de Sementes Crioulas desenvolvido pelo Grupo de Agroecologia Gaia, vinculado à Universidade Estadual do Rio Grande do Sul, desde sua criação em 2015 na região centro sul-RS, de forma a construir memória coletiva. Conclui-se que o Banco, atualmente com 130 variedades crioulas, possibilitou novas construções sociais atreladas à realidade local e oportuniza o resgate da autonomia dos agricultores familiares e a formação de discentes e integrantes da comunidade.

Publicado
2020-11-25