Diversidade de Fava (Phaseolus lunatus L.) na Rede de Bancos de Sementes Comunitários do Território da Borborema-PB-Brasil: um patrimônio genético e cultural a ser preservado

  • Maria Christine Werba Saldanha UFPB – Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção e Sistemas
  • Emanoel Dias da Silva ASPTA-PB
  • Tharine da Silva Santos UFPB-Curso de Graduação em Engenharia de Produção
  • Daniel Ferreira da Silva UFPB-Curso de Graduação em Agroecologia
Palavras-chave: Sementes crioulas; Agrobiodiversidade, Bancos de sementes; Agricultura familiar; Agroecologia.

Resumo

Os Bancos Sementes Comunitários (BSC) constituem importante estratégia para enfrentamento dos efeitos da estiagem e para a garantia de semente para plantio na hora certa. Este artigo tem como objetivo analisar a diversidade de sementes crioulas de fava (Phaseolus lunatus L.) na Rede de BSC do Território da Borborema-PB. Os dados foram coletados junto aos gestores dos 61 BSC, no período de dez./2019 à fev./2020, utilizando o Sistema de Monitoramento dos BSC. A fava é a segunda espécie em diversidade, com 29 variedades nos 12 municípios, 768,96 kg, correspondendo a 8,30% do estoque. Três municípios (Solânea, Queimadas e Alagoa Nova) armazenam 495,69 kg, 64,46 % do estoque de fava, sendo que Queimadas apresenta a maior diversidade, com 11 variedades.  Treze variedades estão com estoque crítico, variando entre 2,00 e 0,2 kg, representando 2,2 % do estoque, necessitando, com urgência, sua multiplicação, para evitar erosão genética.

Publicado
2020-11-25