HORTA MANDALA: TECNOLOGIA SOCIAL PARA INCENTIVO À AUTONOMIA ECONÔMICA DE MULHERES DO CAMPO EM CARUARU-PE

  • Akila Crisielly Passos Araújo
  • Juliana Gouveia Alves da Silva
  • Juliana Pereira da Silva
  • Rafaella Santos da Silva
  • Renata de Sá Mendonça
Palavras-chave: Mulheres; Horta Mandala; Formação Sociopolítica; Caruaru

Resumo

Este artigo tem por objetivo descrever a experiência da implementação de tecnologia
sustentável e formação sociopolítica para mulheres do campo, através do curso: Horta
Mandala para mulheres de Caruaru. A efetivação da horta mandala, que foi vivenciada na
comunidade Carneirinho, localizada no segundo distrito da zona rural do município de
Caruaru-PE. O curso foi ofertado através da Secretaria de Políticas para Mulheres de
Caruaru, Projeto MULHER QUE FAZ, que integra o QUALIFICA CARUARU,
programa de incentivo a qualificação profissional de mulheres, com foco na garantia de
direitos, promoção de igualdade de gênero e formação sociopolítica. Serão relatados aqui,
os resultados obtidos através da educação ambiental com base em agroecologia, que
resultou em produção agrícola, comercialização nas feiras livres municipais. A aplicação
da formação sociopolítica para mulheres, que incentivou a autonomia, autoconfiança,
inserção nos temas do feminismo, suas vertentes, apresentando os acontecimentos
resultados em direitos das mulheres, sobre a luta para a conquista e manutenção desses
direitos. Esses temas foram relevantes, pois a população rural muitas vezes não tem
acesso a essas informações. Acima de tudo, a realização das mulheres pelos objetivos
alcançados no projeto. No curso, as mulheres aprenderam que é possível conviver com
imposições climáticas, com plantios com base técnica agroecológica, como também
criação de aves, com suporte técnico quanto a vacinação, prevenção de doenças através
do resgate de técnicas alternativas

Publicado
2021-07-05
Seção
Trabalhos apresentados sobre Mulheres, Feminismos e Agroecologia